Enem e Vestibular – Dissertação

enem redaçãoGrande vilã dos Vestibulares e do Enem, a redação é o terror dos alunos. No post “Pérolas das Redações” relatei a lamentável situação dos nossos alunos perante uma prova de redação.

No entanto, não me cabe procurar culpados e motivos, meu objetivo é orientar. Há algum tempo venho ensinando Técnicas de Redação para vestibulandos, e, neste post irei, de maneira genérica, dar algumas dicas de como fazer uma boa redação.

Supondo que já tenha lido o post anterior: Redação. Enem e Vestibular , falaremos agora sobre a estrutura

Quando falamos em redação devemos ter em mente diversos gêneros textuais diferentes, tais como: dissertação, narrativa, carta, resumo, etc… Vale lembrar que cada gênero destes têm suas características peculiares. Hoje, vamos nos preocupar com o mais utilizado nos vestibulares de no Enem: Dissertação.

Redação no Enem

A redação no Enem tem sido um verdadeiro problema para alunos e corretores. Sem dúvida, é a parte da prova mais complexa, tanto para fazer como para corrigir. Para que você se dê bem na redação, aí vão algumas dicas para melhorar seus conhecimentos. Considere visitar o site do INEP para buscar mais informações, é sempre uma boa ideia.

DISSERTAÇÃO

A dissertação é a exposição de uma ideia, discussão ou interpretação de um conteúdo.  Sendo assim, o domínio do tema é fundamental para um bom discurso, caso contrário, teremos novas pérolas para “enriquecer” as piadas sobre vestibular. Para isso, é imprescindível que o candidato leia, leia, leia e leia. Deve estar atualizado com o que acontece no mundo, no seu país, no seu estado. Leia jornais, revistas, assista noticiários, busque informações. Nenhuma técnica de redação será suficiente se você não dominar o tema em pauta. Essa é a primeira dica.

Parágrafos

Numa dissertação, cada parágrafo é a representação da exposição de uma ideia.  Uma boa técnica é dividir sua dissertação em 5 parágrafos, da seguinte forma: 1º – Introdução; 2º, 3º e 4º – Desenvolvimento; 5º – Conclusão. Esta estrutura é a mais bem aceita nos vestibulares e Enem, para o caso de redações de 20 a 30 linhas. Observer que, nesta estrutura você deverá dividir os parágrafos em partes iguais, mantendo, assim, uma boa estética de apresentação, bem como a estrutura das ideias.

Introdução

Existem diversas formas de se começar uma redação. Uma afirmação, uma descrição, um pergunta e muitas outras. O importante é que na introdução deve-se se lançar o assunto que virá em seguida e chamar a atenção do leitor. Não deve ser muito longa para não desmotivar a leitura. Se a redação deve ter trinta linhas, a introdução deverá ter de quatro a seis linhas. Utilize apenas um parágrafo.

O que não se deve fazer na introdução:
– Iniciar com uma idéia geral que não se relaciona com a segunda parte;
– Iniciar com as mesmas palavras do título;
– Iniciar aproveitando o título, como se fosse um elemento da primeira frase.
– Iniciar com chavões (frases comuns de conhecimento e uso popular).

 Desenvolvimento

É parte substancial e decisória da redação. É nele que você tem a oportunidade de colocar seu conteúdo, razoável, lógico. Sendo o desenvolvimento a parte mais importante, deverá ocupar o maior número de linhas, então, deverá ter entre dezoito e vinte e duas linhas. Utilize dois ou três parágrafos.

O que não se deve fazer no desenvolvimento:
– Muitos detalhes;
– Divagações;
– Repetições;
– Exemplos excessivos;
– Fugir do tema;
– Não descrever o que foi proposto na introdução;
– Usar frases feitas;

Conclusão

É aqui que você irá propor a solução. Seu ponto de vista, pois, apesar de ter colocado suas idéias no desenvolvimento, é aqui que ele terá mais destaque. É extremamente importante que você conclua seu texto, faça o fechamento de sua idéia. Utilize apenas um parágrafo.

O que não se deve fazer na conclusão:
– Deixar de concluir;
– Usar expressões como: Em resumo; Concluindo, etc…
– Inserir novos argumentos ou informações;
– Usar somente a última idéia apresentada no desenvolvimento.

 Vale lembrar que uma boa dissertação é baseada em fatos e argumentos.

Abraços,

Professor Edmundo Santana

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Website