Tema de Redação: Carta e Artigo de Opinião

TEXTO I: “A ciência não deve ser limitada por conceitos éticos. O cientista tem de gozar de plena liberdade para levar a cabo suas pesquisas e experimentos, não cabendo à sociedade julgar moralmente o seu trabalho. A ciência é eticamente neutra, cabendo à comunidade usar de maneira justa o resultado da reflexão científica. O teórico dividiu o átomo; os estados criaram as armas nucleares”.

TEXTO II: “Compete à  sociedade vigiar o cientista. Está é a única forma de coibir pesquisas que possam transgredir as normas éticas que preservam a coesão social das comunidades. Progresso não significa o avanço científico em detrimento da Ética;  o verdadeiro avanço da civilização consiste em respeitar as coordenadas da moralidade”.

ENTENDA O TEMA

O primeiro texto defende que a pesquisa científica não deve ser policiada pela ética; o segundo, pelo contrário, coloca a Moral acima do progresso científico.

Posicionando-se em favor da Moral, redija uma Carta Reclamação ao editor da revista “Ciência” rejeitando o posicionamento da revista sobre o texto I. Seu texto deverá ter no máximo 15 linhas.

Redija um Artigo de Opinião sobre a questão tratada nos textos acima. É importante que você deixe claro o seu posicionamento quanto ao assunto. Seu texto deverá ter no máximo 15 linhas.

Bom trabalho.

Professor Edmundo Santana

13 comments

  1. A população mundial nos dias de hoje é extremamente dependente de tecnologia, seja para seu conforto, para melhor rendimento ou até mesmo para a saúde. Os cientistas a cada minuto pesquisam mais e mais, sobretudo visando melhorias na qualidade de vida humana; o tempo não para a cada minuto são lançadas novas idéias, concretizam-se novas pesquisas e cada vez mais investem nesse ramo, pois acreditam em todo o benefício que “a nova era da ciência” pode trazer.
    A ciência traz consigo grandes benefícios para seus seguidores, na área da saúde podemos destacar a grande indústria farmacêutica que vem tendo mera importância no mundo, países investindo em pesquisas e tendo respostas, como o uso das células troncos na cura do Cancer , os remédios para cura de doenças raras evitando assim a morte de milhares de pessoas, o bem da Ciência está em ser usada com finalidade de ajudar o próximo.
    Porém , a ciência traz consigo marcos históricos que são mal vistos por muitos a exemplo disso podemos citar o uso da Radiotividade em tratamentos ou por fonte de energia, seus benefícios são indiscutíveis mas ninguém se esquece dos ataques nucleares de Hiroshima e Nagasaki , o quanto usaram uma grande descoberta de Eisten pra construir uma bomba de destruição em massa. Ou até mesmo o quanto a tecnologia influência no comportamento das pessoas, carros, computadores, televisão deixaram os humanos mais preguiçosos por usar menos esforço, as pessoas estão ficando dependentes.
    O ideal é relacionar a ciência e a paz, visando os valores éticos da sociedade, visando sempre a questão de procurar solucionar os problemas existentes e não causar outro. É usar da ciência para o bem humanitário , é usar da mesma com determinação e segurança.

    1. Olá Carolina. Você se importa se eu colocar as observações de sua redação numa postagem? Assim, várias pessoas terão acesso às observações e poderão aprender com isso.

      Prof. Edmundo

  2. Rio de Janeiro, 14 de dezembro de 2011
    Prezado editor,

    Leio a revista “Ciência” há mais de cinco anos e pela primeira vez vejo uma reportagem tão imoral. Como é possível que você, mesmo sabendo que milhares de pessoas irão ler a sua reportagem, defenda o trabalho dos atuais cientistas?
    Graças ao trabalho dos genios, ao qual vocês ousaram defender, o mundo hoje está nas maõs de suas brilhantes invenções. Basta uma mente má intencionada e, no apertar de um botão, todo o planeta pode acabar com a explosão de uma bomba.
    Não se esqueçam que, quando alguém é assassinado, aquele que fornece a arma ao assassino também é culpado.
    Sendo assim, espero que você reveja seus conceitos e entenda que, pela ética e pelo bem do mundo em que vivemos, os cientistas precisam sim ser limitados.

    Miguel F.

    1. Olá Miguel. Analisando seu texto:
      – Quanto à estrutura, ótimo. Local e data, vocativo, texto e assinatura (nunca assine com seu nome, siga as instruções da banca);
      – Texto: procure dividir o texto em parágrafos. Você começou bem o texto, mas não se deve ser agressivo. Devemos lembrar que a carta deve manifestar sua opinião e não uma crítica. Seu texto está condenando o artigo (pelo que entendi) da revista, no qual você é totalmente contra. É importante que você use argumentos que fundamentem, mas jamais seja rude ou agressivo. Devemos ter em mente que cada pessoa tem sua opinião.
      Apesar da carta se tratar de um gênero textual pessoal, isso não nos dá o direito de acusar, agredir, etc… deve-se usar mais a razão que a emoção.

      Sugiro que refaça o texto manifestando sua opinião sem ser agressivo. Outra coisa: não trate o editor de “você”, mantenha a educação e trate-o como “senhor”. Seu texto está muito bom, apenas mude o foco agressivo para diplomático.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  3. Professor, se pudesser corrigir a minha redação eu ficaria muito grato. Meu vestibular está chegando e umas críticas me cairiam muito bem. Pode ser aqui mesmo no blog. Obrigado.

  4. Brasília, 18 de maio de 2012

    Prezado editor,

    Após ler uma publicação de autoria sua, escrevo-lhe discordando do assunto abordado em sua revista. Não desmerecendo o trabalho dos mesmos, mas colocando minha sugestão.
    Os cientistas vem sim trazendo inovações na tecnologia para a sociedade, melhoria para algumas áreas de trabalho, descobertas, dentre outras obras. Mas é preciso um limite, eles devem sim ser moderados e não expor qualquer invenção de sua autoria.
    A mesma obra que por um cientista é feita com boas intenções, pode ser usada por outro com más intenções e assim insatisfazer a muitos e causar um grande estrago.
    O ideal seria um consenso entre a ciência e a população, antes de criar, postar e divulgar, pensar no bem estar de todos e se é realmente necessário no nosso meio.Com os melhores agradecimentos, subscrevo-me com muita consideração.

    Atenciosamente,
    CRD

    1. Olá Camila. Muito bem, a estrutura da carta está perfeita. Porém, deixe-me fazer algumas sugestões:
      – no primeiro parágrafo, procure falar mais sobre a revista, ou seja, das qualidades dos artigos, etc… não entre diretamente no ponto da questão;
      – no segundo parágrafo, sim, coloque sua opinião baseada em seus argumentos. Dê ênfase à sua proposição;
      – no terceiro parágrafo, dê seguimento na ideia e faça a conclusão (como fez está excelente).

      No geral, seja sempre muito diplomática. Não acuse ninguém, não agrida ninguém. Lembre-se de que a carta é um texto pessoal e que carrega sua personalidade e estilo.
      Parabéns. É praticando que se chega à excelência. Continue assim.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  5. Obrigada pelas dicas professor!

    É grave começar a carta com: “Venho por meio desta”

    Não tem problema ? ou é melhor evitar ?

    1. Olá Camila. Na verdade não é, contudo, esta expressão já se tornou um “clichê” e, na minha opinião, sempre que possível, é melhor usar a criatividade e seu estilo pessoal. Tenho certeza de que seu texto será visto com mais destaque.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  6. Oi Prof. Gostaria de saber qual a diferença dos tipos de carta? Porque pelo que estava lendo os exemplos que os leitores do seu blog postaram acima, a Carta de Reclamação, nesse caso, parece muito com uma Carta do Leitor..
    E em um vestibular preciso colocar Remetente, Destinatário, rua, CEP essas coisas na estrutura ou só coloco, exemplo “Brasília, 18 de maio de 2012”, e já começo a carta “Prezado editor”?
    Outra duvida, geralmente não posso assinar com meu próprio nome, a carta, no vestibular né?
    Obrigada desde já.

    1. Olá Maria. Todas as cartas têm a mesma estrutura, o que muda é o conteúdo, que vai de acordo com a proposta. Carta do leitor, não é necessariamente uma reclamação, pode ser, por exemplo, um pedido, um elogio, etc… A carta reclamação, normalmente, tem um caráter mais definido, no caso, a insatisfação do autor por algum motivo, pode ser, inclusive, para um jornal, revista, etc… Veja que, como disse, o que vai mudar é o conteúdo.
      Quanto às outras dúvidas: somente local e data, vocativo (prezado Sr…), texto e assinatura. Na assinatura, nunca coloque seu nome, siga rigorosamente as instruções da banca.

      Espero ter ajudado. Qualquer coisa, estou à disposição.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  7. Maringá,7 de julho de 2014
    §Prezado editor,
    §Sou cientista há mais de vinte anos e, desde criança, sempre fui católico fervoroso. Como participante de uma instituição que prega a moral acima de tudo, me vejo obrigado a contestar uma matéria de sua revista que defendia a liberdade plena dada aos praticantes da ciência.
    §No decorrer de pesquisas envolvendo cobaias, vários princípios moralmente aceitos podem ser feridos. Não é raro vermos faculdades de medicina usando cães ou porcos como meros instrumentos de prática cirúrgica, sem a prestação dos devidos cuidados veterinários. Até mesmo Einstein trabalhou sabendo que suas pesquisas levariam à criação da bomba atômica.
    §Logo, caro editor, não há como separar ética e ciência. Se isso for feito, haverá desenvolvimento tecnológico à custa de regresso civilizatório.
    Atenciosamente,
    JLFN

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *