nov
12
2010

Vestibular – Gênero textual: carta


Algumas universidades estão variando bastante nos gêneros textuais da prova de redação . Caso da UEM – Universidade Estadual de Maringá, UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa, e UFPR – Universidade Federal do Paraná. Estes vestibulares pegam muita gente de surpresa, visto que, pouco se conhece sobre os vários de gêneros existentes. Normalmente, os cursinhos e escolas batem muito em cima da dissertação, evidente, é o gênero mais solicitado em vestibulares e concursos.

Para que você não seja pego de surpresa num vestibular, vou postar uma série de gêneros para seu conhecimento. O de hoje é a carta:

A carta tem uma estrutura obrigatória e que deve ser rigorosamente seguida, caso contrário, o candidato poderá ter sua redação anulada ou perder muitos pontos. A estrutura obrigatória da carta é: local e data, vocativo, texto e assinatura. Vejamos, então, um exemplo prático e, logo abaixo, a explicação:

Arapongas, 12 de Novembro de 2010.
Prezada Flávia,
É um prazer recebê-la no meu blog. Sua pergunta resulta em resposta para muitas outras pessoas que têm dúvidas…
Ass. Professor Edmundo Santana

Vamos aos detalhes:
Local e data: por extenso, conforme acima. Normalmente se usa a data no lado direito da folha.
– Vocativo: use um pronome de tratamento adequado à pessoa a quem está se dirigindo. Quanto menos intimidade, mais formalidade. Neste caso, observe a quem se destina a carta. Se a um juiz: meritíssimo. Ao presidente: Excelentíssimo. A uma autoridade; Ilustríssimo,  se é parente: querido(a), etc…e por aí vai. Para pessoas que não sejam autoridades,  o prezado(a) cabe muito bem. Se souber o nome, coloque-o após o pronome de tratamento. Se não souber, pode ser o cargo que ocupa.
–  Texto: quanto mais íntima a pessoa, mais informal será seu diálogo e vice e versa. Procure, no primeiro parágrafo, de acordo com a proposta, perguntar sobre a pessoa ou fazer um elogio à empresa, etc… Depois entre com o argumento proposto.
– Assinatura: observe as instruções da prova. Em alguns vestibulares, pede-se que assine com a primeira letra do último sobrenome. Fiquem atentos.

Obs importante: não deixe linhas em branco entre estes itens.

Esta é a estrutura obrigatória da carta. Qualquer dúvida, estou à disposição.

Abraços,
Professor Edmundo Santana

Artigos relacionados

Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

29 Comments+ Add Comment

  • Olá, gostei mundo do blog do senhor professor, gostaria de saber se o senhor poderia dar dicas de como fazer relato, fabula, relato e reportagem. Pois, vou fazer o vestibular semana que vem, estou estudando só que não encontro material suficiente destes temas.

    Obrigado

    • Olá Nathan. Sim, inclusive havia começado a postar algumas dicas sobre outros gêneros textuais, mas a falta de tempo me impediu. Vou postar as dicas ainda nesta semana, prometo.

      Abraços,
      Professor Edmundo Santana

  • professor ao invés de vc mandar a resposta para o email da janaina vc mandou para mim até os grandes mestres erram

    • Olá Everson. Estranho, a resposta é automática, rs… de qualquer forma, me desculpe.

      Abraços,
      Professor Edmundo Santana

  • Professor adorei o seu site!!! muito bem explicado.. eu vou fazer UEM vest. inverno e gostaria, se você puder, postar esses gêneros literários: conto, fábula, notícia, relato, reportagem, resposta argumentativa e interpretativa, resumo, texto instrucional, carta de reclamação e carta ao leitor!!!
    Por favor!!
    abração!

    • Olá Jé. Obrigado. Eu já tinha prometido postar sobre esses temas, mas o tempo não permitiu. Prometo que vou postar sobre todos eles e com exemplos, ok?

      Abraços,

      Professor Edmundo Santana

  • Muito bom esse seu post! Sempre visito seu blog, mas quase nunca comento … rs, Abs

  • Saudações Mestre. Obrigada por postar informações tão valiosas!
    Estou em duvida quanto a carta ao Leitor. Segue-se a mesma estrutura?

    Aguardo Resposta.

    • Olá Polyana. Obrigado por visitar e participar do blog. Quanto à sua pergunta, a estrutura da carta que me refiro no post, é a estrutura para uma carta padrão, ou seja, quando você escreve de “próprio punho” para alguém, envia pelo “Correio”, etc… Este gênero textual segue o padrão da norma culta do idioma.
      Quando você fala em carta ao leitor, muda um pouco o foco da questão. Significa que uma revista ou jornal, por exemplo, está respondendo para alguém, neste caso, essa resposta provavelmente será publicada neste meio de comunicação e não enviada via Correios.
      Tecnicamente, uma carta ao leitor, seguirá um padrão parecido com a estrutura da carta normal, no entanto, a data já está no contexto da própria edição. O destinatário, pode ser o nome do leitor, bem como, genericamente, leitores, e a assinatura se faz presente ao final.
      O importante é esclarecer que uma carta é sempre pessoal e dirigida a alguém. O texto deverá seguir este princípio.

      Espero ter ajudado.

      Abraços,
      Professor Edmundo Santana

  • Adoro seu blog!! Sempre leio, mas nunca comento… rs parabens pelo trabalho!

  • Olá Professor, adorei seu blog, foi difícil de achar um tão completo, mas em relação a carta do leitor, segue essa mesma estrutura?

    • Olá Brenda. Obrigado. Toda carta tem a mesma estrutura, o que muda é o conteúdo que utilizará, os argumentos e o apelo. Mas a estrutura é sempre a mesma. Local e data, destinatário e assinatura.

      Visite também http://www.apalavraescrita.com.br. Meu outro blog só com conteúdo para Redação.

      Abraços,
      Professor Edmundo Santana

  • professor poderia me esclarecer o que é uma carta ao leitor e alguns exemplos

    • Olá Carolina. Obrigado por visitar o blog. Bem, carta ao leitor, é uma forma que revistas e jornais têm de manter contato com seus leitores. Normalmente, é uma resposta do editor a algum questionamento, pergunta, sugestão, mostrando que o meio de comunicação se preocupa com seus leitores.
      A estrutura é a mesma de qualquer carta. No entanto, é comum observar em revistas, por exemplo, que nestas cartas não têm local e data e assinatura. Vamos aos motivos. Toda revista ou jornal já vem em seu editorial local e data, repetir seria redundância. Quanto a assinatura, está intrínseco que, normalmente, é o próprio editor.
      Quando aparecer uma situação dessas numa prova, observe bem as instruções da proposta, isso é muito importante.
      Para ver um exemplo, leia a revista Veja, sempre tem uma carta ao leitor logo no começo da revista.

      Espero ter ajudado.

      Abraços,
      Professor Edmundo Santana

  • Olá professor, tudo bem?
    Aqui estou eu de novo.
    Perdoi-me perguntar nessa parte que não tem nada com o assunto.

    Eu já andei pesquisando em alguns sites mas queria ter certeza disso.

    O senhor sabe com certeza quais são os livros que vão cair na UEM esse ano?

    Eu prestei vestibular no meio do ano mas não sabia os livros, agora quero ler para o vestibular do final do ano.

    Grato desde já.

    Atenciosamente,

    Giovanni

    • Olá Giovanni, é sempre um prazer poder ajudar. Segundo informações da própria UEM, os livros para este ano são:

      Obra Autor
      Contos Novos Mário de Andrade
      Dom Casmurro Machado de Assis
      Melhores poemas Gonçalves Dias
      Melhores poemas João Cabral de Melo Neto
      Melhores poemas Manuel Bandeira
      O calor das coisas Nélida Piñon
      O cobrador Rubem Fonseca
      Poemas escolhidos Cláudio Manuel da Costa
      Senhora José de Alencar
      Triste fim de Policarpo Quaresma Lima Barreto

      A lista de autores e de obras, constante do programa a título de sugestão, não impede que outros autores e obras significativas sejam solicitados na prova.

      Pelo menos é essa a informação disponível no site. Espero ter ajudado.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • Olá professor, sou uma assídua frequentadora do seu blog.
    Agora me surgiu uma duvia, no edital da faculdade vou fazer, tem
    CARTA DE RECLAMAÇÃO, como seria esse gênero, a estrutura é a mesma
    CARTA DO LEITOR, mesma estrutura? caso houver exemplos me ajudaria muito
    obrigada pelas excelentes informações postadas diariamente.
    o Brasil necessita de pessoas assim como você, que doa uma boa parte do seu tempo para ajudar o próximo, só assim a educação do nosso amado brasil melhoraria.

    • Olá Iama. Respondi no seu e-mail.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • Olá professor. É a primeira vez que tenho acesso ao seu blog. Suas informações são sucintas e de grande valia. Obrigada

    • Olá Silvia. Que bom que gostou do blog, fico feliz. É sempre um prazer poder ajudar.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • Professor, por favor, tem sugestões para que se possa trabalhar o gênero carta ao leitor com alunos do 5.o ano do ensino fundamental?

    Obrigada.

    • Olá Michelle. Desculpe a demora. Acho que os temas ligados à informática sempre despertam interesse nesta turminha, assim como equipamentos. Outro assunto que é bom para trabalhar nesta idade é ecologia ou tudo que se relaciona a ela.
      Espero ter ajudado. Qualquer coisa, estou à disposição.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • É errado saltar linha após o local e data para depois colocar o vocativo?

    • Olá MIchelly. Sim, não se deve pular linha entre data, vocativo e, inclusive, no final para a assinatura. Principalmente se o total de linhas (com as linhas em branco) for igual ao solicitado.

      Em carta, nunca pule linhas.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • olá professor, tenho uma duvida espero que você possa me ajudar, tenho duvidadas em relação a estrutura da carta em relação aos parágrafos .. pois a carta argumentativa é basicamente uma dissertação certo ? contem a introdução , expor o assunto e dar a tese os dois argumentos e a conclusão, porem, na carta você interage com o leitor, e a carta normal como seria ? da mesma forma ? introdução dois parágrafos argumentativos e conclusão ? tenho duvidas também em relação a conclusão.. como ela se aplicaria na carta
    obrigada

    • Olá Thaís. Obrigado por visitar o blog. Antes de mais nada, não esqueça da estrutura padrão da carta: local e data, vocativo, texto e assinatura, tudo isso sem deixar espaço entre linhas (linhas em branco). Uma carta argumentativa segua a linha de raciocínio de uma dissertação, respeitando a estrutura acima e o fato de que é pessoal, ou seja, escrita em primeira pessoa, ao contrário da dissertação. Para uma carta “normal”, vai depender muito da proposta, mas em tese, sempre que precisar defender algum ponto de vista, precisará de argumentos. Quanto aos parágrafos, normalmente eu aconselho sempre a trabalhar com três. É uma estrutura bem aceita e perfeita para mandar seu recado. Com relação à conclusão, não se preocupe em que seu último parágrafo seja especificamente para este fim, ela poderá vir na última frase, desde que a mensagem tenha sido transmitida.

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida, estou à disposição.

      Abraços,
      Prof. Edmundo

  • Na estrutura, já que é obrigatório o uso da data e do local, eu devo escrever a data do vestibular em que estaria prestando e a cidade onde está sendo aplicada?
    E se na proposta o destinatário fosse o Ministro da Educação, qual seria a forma correta de iniciar a carta: “Caro Ministro da Educação” ou “Excelentíssimo Ministro”?

    • Oi Michelly. Estas informações de cabeçalho se não estiverem especificadas nas instruções, você pode colocar qualquer local e data, não haverá problema. Mas repito, observe bem as instruções. Quanto ao vocativo, se a carta for endereçada ao Ministro, deve-se usar Excelentíssimo, por tratar-se de autoridade.

      Espero ter ajudado.

      Abs
      Prof. Edmundo

  • professor, nao coloquei data e local, vou perder muito ?

Leave a comment