fev
10
2009

Prepare-se! As Mudanças Não Param


Há algum tempo venho falando sobre mudanças aos meus alunos. Não sei até que ponto eles absorvem essa idéia, mas é uma realidade fundamental. Tenho lido muitos artigos sobre carreira e trabalho, e, mais especificamente, recrutamento e seleção de pessoal.

A situação é simples: a tendência é a busca por profissionais que transcendem as habilidades técnicas. Como é isso? Bem, o tempo em que se buscava profissionais avaliando apenas sua capacidade técnica, bem como em que universidade se formou, já passou. É preciso mais que isso para manter uma empresa competitiva no mercado. As empresas vêm, paulatinamente, enxugando o quadro de pessoal, procurando reduzir custos e aumentar a produção. Parece um paradoxo, não é? Reduzir pessoal e aumentar a produção. Nem tanto.

Com a rápida evolução da tecnologia, ficou muito fácil dispensar mão-de-obra e substituí-la por tecnologia. Penso que muitas empresas vão além da conta, e sobrecarregam demais quem fica, tipo: é pegar ou largar. Enfim, qual é a tendência para ser um profissional de momento.

Eu, por exemplo, gosto de avaliar as pessoas através de dois métodos: uma redação e dinâmicas de grupo. Só após essas duas etapas passo para a entrevista. Num texto o candidato precisa expressar seus sentimentos e opiniões, é como no vestibular, além de que é possível direcionar para um determinado tema e deixá-lo se expressar. Também é uma boa oportunidade para avaliar seu domínio do idioma . Numa dinâmica é possível observar atitudes e comportamentos, indispensável nos profissionais atualmente.

As habilidades pessoais estão tomando o lugar das técnicas – e aqui insisto em dizer que também são importantes -, mas vale lembrar que desenvolver uma habilidade pessoal é mais complicado que uma técnica. As habilidades pessoais requerem mudança de comportamento, é um tiro no escuro, pois, nem todo mundo está disposto ou tem a coragem de mudar comportamentos.

Vejam que interessante: quem poderia imaginar, há vinte anos, que habilidades como criatividade, atitude positiva, relacionamento interpessoal, trabalho em equipe, liderança, entre outras, seria indispensável a um bom profissional? E ainda tem mais. Algumas empresas já se preocupam com outros pontos interessantes: qual a sua preocupação com o meio ambiente? Você faz algum trabalho voluntário? Você tem algum hobby? E a sua consciência coletiva? Sua ética? E por aí vai.  É bom começar a pensar a respeito.

A minha preocupação é que esse tipo de informação acaba ficando restrita a poucos profissionais, em verdade, àqueles que, de alguma forma já têm algumas dessas habilidades desenvolvidas, ou pelo menos têm a preocupação de se manter atualizado como profissional. Mas, a grande maioria dos trabalhadores, infelizmente, não procuram esse tipo de informação, nem sequer sabem da existência dessas tendências e permanecem na escuridão total. Um grande problema para um país que tem a pretensão de sair da linha do “em desenvolvimento” para o “desenvolvido”.

Abraços,

Professor Edmundo Santana

Artigos relacionados

Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

Leave a comment