jan
20
2009

Grosseria está Fora de Moda


Tenho uma política um tanto radical para algumas situações em ambiente de trabalho. Uma delas é uma exagerada aversão a pessoas tipicamente grosseiras. Em minha trajetória profissional, tive o desprazer de lidar com pessoas assim. Cara fechada, ofensas pessoais, humilhação de funcionários, e outras coisas semelhantes.

Sempre tentei evitar um confronto direto com pessoas assim, pelo menos até o limite da paciência. Uma razão é a própria carreira, na qual não se deve macular por causa de pessoas com essa natureza. É certo que nem sempre tive o sangue frio para manter-me calmo, e em algumas ocasiões, explodi. É preciso deixar claro que jamais dei motivo algum para que ninguém me tratasse de forma inadequada, dessa forma, não aceitava tal tratamento.

Conviver com pessoas dessa natureza é extremamente desagradável, e transforma nossa vida corporativa num verdadeiro inferno, levando muitos funcionários a um alto nível de estresse. A grande maioria dos brasileiros têm uma dependência extrema de seu trabalho. Isso é compreensível, devido ao elevado nível de desemprego, principalmente com a crise que ameaça o mundo. Então, o que fazer para que possamos combaer de forma diplomática situações assim?

Antes de responder, devemos levar em consideração algumas consequência que recaem sobre equipes “chefiadas” por pessoas com essas características:

– ambiente de trabalho desconfortável;

– baixa auto-estima dos funcionários;

– Clima tenso e inseguro;

– baixa produtividade.

Vamos ficar apenas nestes para não nos alongarmos além da conta. Se você é empresário e tem em seu quadro algum funcionário, chefe, gerente, etc… assim, CUIDADO; está correndo risco de jamais formar uma equipe coesa e eficaz.

Agora vejamos como podemos encarar, como subordinados,  uma situação assim. Algumas dicas para ajudar:

Evite o confronto direto: às vezes é muito difícil engolir uma situação dessas, mas, “bater de frente” não é uma boa política. Converse com seus colegas de trabalho e, em primeiro lugar, tentem fazer o chefe entender como ele está lidando com vocês. Não dando certo, procure alguém acima na hierarquia. Agora, se quem é assim é o patrão, o dono, então você tem duas opções: ficar quieto e aguentar, ou procurar um novo emprego. 

Jamais use de “artifícios” para derrubar seu chefe. Isso quer dizer: “não puxe o tapete dele”. Ele pode até merecer, mas sua atitude passa a ser tão baixa quanto a dele. Seja ético.

Não tente enfrentar uma situação sozinho, procure sempre o apoio de seus colegas, você pode até liderá-los, mas não se exponha sozinho. Seu poder de negociação se multiplica quando tem o apoio dos colegas.

Se você está lendo este post e a carapuça lhe serviu, pense bem a respeito, pois, esse tipo de atitude está banido de muitas empresas, e tem os dias contados para as outras. Reflita, reveja seus conceitos. Relaxamento, meditação, Ioga e outros recursos são algumas formas de controlar seus impulsos explosivos.

Um abraço,

Professor Edmundo Santana

Artigos relacionados

Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

Leave a comment