fev
3
2009

Fazendo a Diferença


Tenho ensinado alunos de faixa etária heterogênea. Nesta grande aventura de ensinar, acabamos por aprender muito, e muito mesmo. É uma experiência gratificante. No entanto, é lamentável perceber o nível de desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos.

 

Os jovens, por exemplo, não são preparados para o mercado de trabalho, muito menos para a vida. A grande maioria tem um sério problema de comunicação. Concordo que a fase de crescimento psicológico nesta idade é complicada, mas, em muitos casos vejo pânico em seus olhares quando, por exemplo, durante as aulas, fazemos uma atividade ou dinâmica de grupo.

 

Tenho muitos alunos que desistiram do curso na primeira fase – desenvolvimento pessoal -, mesmo tendo insistido que este é o aprendizado mais importante do curso. A verdade é que têm medo de se expor, de opinar, de participar.

 

Amigos, para um mercado cada vez mais competitivo, desenvolver suas habilidades pessoais é de suma importância para o crescimento profissional e pessoal de qualquer pessoa. Não adianta mais ser o primeiro da turma se você não sabe lidar com pessoas, se não sabe trabalhar em equipe, se não tem iniciativa. As empresas precisam de pessoas com qualidades pessoais desenvolvidas, pois, qualquer empresa é feita de pessoas, de equipes. Quem toma as decisões numa empresa são pessoas, não máquinas.

 

Não me canso de falar, tanto nas aulas como nas palestras, que LER é muito importante para seu desenvolvimento. Quando pergunto quantas pessoas lêem mais de 5 livros por ano, dificilmente alguém levanta a mão. Mais lamentável ainda, é quando pergunto quantos não lêem nenhum livro; a maioria. Mas vou deixar esse assunto para outro artigo.

 

Habilidades pessoais como: liderança, criatividade, trabalho em equipe, flexibilidade, iniciativa entre outras, são raras nas pessoas hoje. No entanto, são as mais importantes. Grande empresas têm tido muitas dificuldades em recrutar pessoas atualmente; faltam qualificações nos candidatos.

 

Toda mudança gera insegurança, e para sair da famosa “zona de conforto” é necessário esforço, disciplina e coragem. Quem está disposto a fazer isso?

 

 

Um abraço, 

 Professor Edmundo Santana


Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

Leave a comment