mar
27
2009

Faça a Diferença


Paulo trabalhava em uma determinada empresa há dois anos. Sempre foi um funcionário sério, dedicado e cumpridor de suas obrigações. Nunca chegava atrasado. Por isso mesmo, já estava com dois anos na empresa, sem sequer ter recebido uma única reclamação.
Certo dia, ele foi até o diretor para fazer uma reclamação:- Sr. Gustavo, tenho trabalhado durante estes dois anos em sua empresa com toda a dedicação, só que me sinto um tanto injustiçado. Fiquei sabendo que o Pedro, que tem o mesmo cargo que eu e está na empresa há somente 06 meses será promovido!

O Sr. Gustavo, fingindo não ouvi-lo disse:

– Foi bom você vir aqui. Tenho um problema para resolver e você poderá me ajudar. Estou querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço hoje. Aqui na esquina tem uma barraca de frutas. Vá até lá e verifique se tem abacaxi.

Paulo, sem entender muito bem, saiu da sala e foi cumprir a missão. Em cinco minutos estava de volta.

– E então, Paulo? – Perguntou o Sr. Gustavo.
– Verifiquei, como o senhor pediu, e o moço tem abacaxi.
– E quanto custa?
– Ah, Isso eu não perguntei.
– Tem abacaxi suficiente para atender a todo nosso pessoal? – Quis saber o Diretor.
– Também não perguntei.
– Há alguma fruta que possa substituir o abacaxi?
– Não sei.
– Muito bem Paulo. Sente-se ali naquela cadeira e me aguarde um pouco.

O diretor pegou o telefone e mandou chamar o novato Pedro. Deu a ele a mesma orientação que dera ao Paulo. Em oito minutos, Pedro voltou.

– E então? – Indagou o Sr. Gustavo.
– Eles têm abacaxi, sim Seu Gustavo. E é suficiente para todo nosso pessoal. Mas se o senhor preferir, tem também laranja, banana, melão e mamão. O abacaxi, estão vendendo a R$ 1,50 cada; a banana e o mamão a R$ 1,80 o quilo; o melão, R$ 1,20 a unidade e a laranja a R$ 10,00 o cento.
– Mas como eu disse que a compra seria em grande quantidade, eles nos concederão um desconto de 15%. Deixei reservado. Conforme o Senhor decidir, volto lá e confirmo -, explicou Pedro.

Agradecendo pelas informações, o patrão dispensou-o. Voltou-se para Paulo, que permanecia sentado (e calado) ao seu lado e perguntou-lhe:

– Paulo, o que foi que você estava me dizendo?
– Nada não, patrão. Esqueça. Com licença.

E Paulo deixou a sala.

Abraços,

Professor Edmundo Santana

 




Artigos relacionados

Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

Leave a comment