fev
18
2009

Bom Mesmo é Ser Político


Representantes do povo, em Curitiba, são os que recebem os maiores salários entre os estados do sul. Foi aprovado no ano passado, numa sessão extraordinária da câmara dos vereadores  um reajuste de 29%. Sendo assim, os vereadores da capital paranaense recebem um salário de R$ 9.200,00. Bom, né?

Enquanto o povo luta para manter seus empregos, com salários irrisórios, nossos representantes, que deveriam estar fazendo alguma coisa pelo bem dos que os elegeram, estão mesmo preocupados em reajustar seus salários Vamos ver, então, como ficam os salários para os digníssimos representantes dos estados do sul:

Prefeito de Curitiba: R$ 24.500,00

Prefeito de Porto Alegre: R$ 12.800,00

Prefeito de Florianópolis: R$ 14.600,00

Vereadores de Curitiba: R$ 9.200,00

Vereadores de Florianópolis: R$ 8.700,00

Vereadores de Porto Alegre: R$ 8.500,00

Secretários Municipais de Curitiba: R$ 10.200,00

Secretários Municipais de Florianópolis: R$ 7.100,00

Fazendo um comparativo, o salário pago ao Sr. Prefeito da cidade modelo (Curitiba) equivale ao teto do funcionalismo, equiparando-se ao do Governador e dos ministros do Superior Tribunal Federal(STF ).

Penso, penso, penso e não consigo entender como nós, povo brasileiro, permitimos essas barbáries contra os cofres públicos. Sim, porque isso não é salário, é um verdadeiro estado de “calamidade pública”. Como vocês puderam ver no post “Políticos” Salariais – Tentando Entender, a festa é generalizada neste país.

Essa situação me remete à lembranças do colegial, quando estudava história. Não sei por que, mas tudo isso me lembra um pouco a Revolução Francesa. Em linhas gerais, o clero e a nobreza viviam de forma magnífica, gastando até o que não tinham, enquanto o povo, miserável e faminto, tentava sobreviver à custa das sobras, carregando nas costas clero e nobreza.

Isso não lhes soa familiar? Alguma semelhança com a realidade é mera coincidência. Bom, ocorre que no final dessa história, Sua Majestade o Rei Luis XVI e sua rainha terminaram seus dias com o pescoço na famosa guilhotina. Seria uma alternativa? Não, o mundo diria que voltamos aos tempos bárbaros. Mas, em que tempos vivemos, afinal? Já não sei mais.

Abraços,

Professor Edmundo Santana


Artigos relacionados

Sobre o autor: Edmundo Santana

Diretor Geral da Canadian Corporate Coaching Group Brasil. Sócio Diretor da Advance Consultoria e Treinamentos. Consultor e Instrutor em Desenvolvimento de Pessoas. Consultor e Instrutor do Sebrae/PR. Professor de Técnicas de Redação. Fundador do Blog Professor Edmundo Santana. Autor do Livro Fazendo a Diferença - Aprenda Fácil Editora

Leave a comment